A Menina Que Engoliu o Sapo
A Menina Que Engoliu o Sapo
Ver Detalhes         Ver Detalhes


Livros


O Visitante do Planeta Cosmos


O Visitante do Planeta Cosmos, (editora Topbooks), fábula futurista que rompe com o tradicional, uma epopéia (segundo o jornal Folha de São Paulo, caderno Folhateen) onde os autores Dilma Bittencourt e Lauri Prieto se aventuram por uma viagem pelo buraco negro do Universo, através do protagonista da história: Caprinha, um habitante da galáxia de Andrômeda querendo alcançar a Via Láctea e chegar à Terra.
Foi selecionado, pela Secretaria Municipal das Culturas/Rio Arte, como projeto especial (tema inexistente na Cidade do Rio de Janeiro) para recebimento de incentivo fiscal.
Fábula onde a fantasia não é fantasiosa. Fantasia enquanto sonho, carregado da vontade e coragem de transpor as dificuldades, não com uma varinha de condão, acomodadora dos sonhos, mas com idealização e ação (movimento).
Uma transgressão saudável ao enquadramento autoritário da criança às regras, modos e ao cerceamento de suas ações em que a mãe da protagonista, a cientista Petra, figura no papel de orientadora e incentivadora da viagem.
Com viés ecológico-social, os autores fogem da moral da história e se refugiam na ética. Pensam o papel do homem e sua responsabilidade com a sustentabilidade do planeta. E propõem um Fórum Interplanetário na Amazônia, para se discutir defesa dos seres vivos, das florestas, dos índios, da paz, da justiça social e principalmente de uma consciência ecológica entre os planetas.
Narrativa linear, fragmentada na viagem do protagonista: sono, sonho e desejo. o mágico se aproxima do cotidiano e torna verdadeiras ações e lugares aos olhos de quem lê a cena.
Invisível a fronteira entre o real e o imaginário. Sonho ou realidade, a viagem do protagonista Caprinha à Terra?
Os personagens nominados em diminutivo (Caprinha, Chiquinho, Gandinho) traduzem o caráter afetivo-simbólico atribuído, porque são pequenos refletindo grandes personagens de nossa história contemporânea: Fritjof Capra, Chico Mendes e Mahatma Gandhi.
Elo que dá voz à criança, independência e capacidade criativa, em torno de valores que ela reflete. E como elemento transformador do mundo, através de questionamentos e posicionamentos, os coloca em uma narrativa que integra o Homem, a natureza e o Cosmo.
A narrativa e o diálogo do protagonista com a mãe descortinam perspectivas de integração do espaço adulto ao da criança. Ela coloca seus anseios e encontra receptividade. Caprinha e Petra introduzem o leitor ao fascínio do céu, das estrelas, planetas e fala da química do Universo -- um ótimo caminho para navegar pela Astronomia e revelar pequenos astrônomos.
E através de viagens pelo universo e pela Terra (diálogo com a mãe), sono e sonho (viagem pela Terra) e desejo e reabilitação (viagem pelo buraco negro do Universo), o protagonista se busca. "Quem sou eu?"
Questiona a vida, a morte, o Universo: como tudo começou e se começou. Busca entender os mistérios do aqui e do agora, do ontem e do sempre.